03 julho 2006

A importância na escolha do vice


Uma das grandes preocupações de todos os presidenciáveis é, sem dúvida alguma, a escolha do vice. Mas para muitos eleitores essa escolha é insignificante. E para os leitores do blog que compartilham deste mesmo pensamento vai aí uma pitada da nossa história republicana. Ela vai nos mostrar que o vice é sim tão importante como o presidente, haja visto que, em inúmeros casos o vice acabou ocupando o posto supremo do poder executivo.

Logo no início da República, mais precisamente em 1891, o então presidente Marechal Deodoro da Fonseca renuncia, assumindo em seu lugar seu vice, o Marechal Floriano Peixoto.

Já em 1909 com a morte do presidente Afonso Pena assume seu vice, Nilo Peçanha. Em 1918, uma eleição direta elegeria para um segundo mandato (não consecutivo) Rodrigues Alves, que sequer chegou a ser empossado, pois falecera contaminado pela gripe espanhola. Em seu lugar assume seu vice, Delfim Moreira, que ficou literalmente louco no poder.

Passamos por um razoável período sem as substituições. Quando Getúlio Vargas resolveu sair da vida para entrar na história, em 1954, sei vice, Café Filho assumiu o posto. Café Filho acabou sendo afastado do cargo, dando lugar ao presidente da Câmara, Carlos Luz, que também viria a ser deposto, cedendo a vaga da presidência ao presidente do Senado, Nereu Ramos.

Em 1961, “forças ocultas” (leia-se Carlos Lacerda) fizeram com que o presidente recém eleito, Jânio Quadros, renunciasse sete meses depois de assumir o poder. Como seu vice encontrava-se na China, assumiu interinamente o presidente da Câmara Ranieri Mazzilli. Com a chegada do vice, assume a presidência João Goulart.

E para não perder o costume, em 1985, na redemocratização da República, um colégio eleitoral elegia Tacredo Neves para a presidência. Na véspera da posse Tacredo é internado em estado grave, assumindo interinamente seu vice, José Sarney. Com a morte de Tancredo, em 21 de abril do mesmo ano, Sarney é efetivado no cargo.

O último episódio dessa dança dos vices aconteceu em 1992, quando o então vice Itamar Franco assumi a presidência em virtude do afastamento do presidente Fernando Collor, pelo processo de impeachment impetrado contra ele.

13 comentários:

Orlando Tambosi disse...

Tens razão, Patrick, vice acaba sendo mais importante, aqui no Bananão, do que o próprio presidente.

Abs.

Rafael Canela disse...

Viva o vice entao!


O Brasil também foi vice duas vezes na Copa!

Viva o Vice!

José Alberto Mostardinha disse...

"A minha Pátria é a lingua portuguesa"

VOTE AQUI:

http://fifaworldcup.yahoo.com/06/pt/w/bypa/eligible.html

AZIMUTH disse...

Amigo Patrick,
Minha netinha nasceu sexta-feira passada. Agora sou avô (e corujão), olha que responsabilidade! Um incentivo a continuar "botando a boca no trombone" lá no Azimuth. A luta continua!... rs...
Abraço!
N. Cotrim

flavia disse...

Oi querido...desculpe a demora pra responder, mas estava viajando...bom sou de Recife! Agora de volta acho que terei mais tempo pra visitar os amigos virtuais, vou te linkar pra não correr o risco de pasar em branco...bjssss!

Nat disse...

Patrick, aqui no bananão, lembramos do vice apenas quando ele assume. Péssimo habito!

Estou te linkando no meu bloguinho :)

Ricardo Rayol disse...

Pelo jeito historicamente só temos incompetentes

Santa disse...

Interrompi a fisioterapia para publicar o post em solidariedade ao jornalista Reinaldo Azevedo. Agradeço as palavras de carinho no blog. Se é que é possível,- tenha um bom domingo. Beijos.

Santa disse...

Depois da parada forçada, estou voltando ao blog, aos poucos, mas voltando...Agradeço o carinho de sempre.Bjs

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Patrick:

O jeito é dizer mesmo...viva o Vice.

Um abraço,

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
»

Anônimo disse...

I say briefly: Best! Useful information. Good job guys.
»