10 outubro 2006

O destreinado Lula

Muitos - inclusive o próprio - afirmam que Lula estaria destreinado para o debate de domingo com Alckmin. Lula disse ter sido pego de surpresa por um "diferente" Alckmin, mais agressivo e aguerrido. Mas de quem é a culpa desse destreino? Seria dos assessores do presidente nesta campnha? Na minha singela opinião não. A explicação que encontro é mais simples. E como estou falando de Lula, utilizarei o futebol como exemplo. O presidente-candidato não estava propriamente destreinado, estava mesmo era sem ritmo de jogo. Os mais antigos devem lembrar do saudoso Valdir Pereira, ou para os íntimos futebolísticos, Didi. É dele a célebre frase "treino é treino, jogo é jogo". Se Lula quer achar culpados por não ter tido um desempenho melhor, é só olhar no próprio espelho.

Ao longo de quase quatro anos de governo, Lula preferiu atender aos conselhos de quem queria "protegê-lo" da imprensa ao invés de encarar os fatos. O presidente deu uma entrevista formal, apenas, isso depois de ter sido pego de surpresa com o segundo turno. Desabituou-se de ser questionado. Mesmo na única coletiva dada, proibiu as réplicas dos jornalistas. Outra coisa: o volume e a diversidade de informações sobre o governo é tal que você tem que estudar o tempo todo, e quando falo estudar não emprego o termo no sentido formal. Fazer provas, submeter-se a questões desconhecidas e inesperadas também é estudar. Afinal, a sabedoria é o processo progressivo em que você se torna mais capaz de resolver problemas que não conhece. Sabedoria não é erudição. Uma coisa não se confunde com a outra. Em resumo: Lula passou quase quatro anos discursando e agora tem que debater. Leva um tempinho para voltar à forma, não acham?

5 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Acho que você superestima o molusco. Ele NUNCA foi bom de debate, só se ferra. Só é eleito por que tem uma massa de cegos que acreditam que Lula não sabia. E pior, que a culpa da roubalheira é da história. Roubamos sim mas todos roubaram.

Primavera Negra disse...

Vou na linha do Rayol, aí acima: Lula não sabe debater nada com ninguém; o que acontece é que ele tem tido uma vida mansa, quando se trata de uma discussão de idéias ( e também em outros sentidos...), há muito tempo!
Ninguém ousa confrontá-lo. Mesmo a imprensa que vive se queixando de que ele não dá entrevista, essa jamais o encurralou como fez Alckmin no domingo.
Não falta treino, falta talento.

Alexandre, The Great disse...

Patrick.
Na minha opinião um Presidente da República (um de verdade, tá?), não precisaria "preparar-se para um debate". O próprio exercício do cargo, levado a efeito de forma séria e compenetrada, dariam o necessário "preparo" para enfrentar qualquer arguição.

E ocorre um outro fenômeno muito peculiar nestas arguições. Algo que foi "brilhantemente" exercido por Brizola desde as suas priscas campanhas eleitorais, mas que hoje transformou-se em um arremedo tosco do modelo original: a retórica desviante - diante de uma pergunta embaraçosa, o político tergiversa e responde outra coisa que lhe interessa - como o tempo de televisão é limitado e não se voltam aos assuntos, fica tudo por isso mesmo e pronto.

Um abraço,

Saramar disse...

Patrick, achei interessante que os amigos que comentaram, reforçaram seu ponto de vista.
Você acertou no ponto exato quando disse que Lula, durante todo o seu governo ficou "protegido" do debate de idéias, e agora, não tem como enfrentá-lo.
Ele e sua arrogância de ignorante preferiu se furtar a todo contato com possíveis adversários porque, tanto ele como sua corte sabem bem das limitações do líder.
Porém, como quem sai na chuva fatalmente se molhará, agora ele tem que se confrontar com a necessidade de debater idéias, para sua própria sobrevivência.

Excelente análise a sua.

beijos

Neto disse...

Gostei da sua colocação para o despreparo do presidente, e do discenimento inteligente sobre o assunto.

Muito bom.
É assim mesmo que acontece. Não foi algo a toa o dito do ex-presidente Bill Clinton (EUA) se referindo a Lula...
O chamou de "um animal político".

Abraços