27 novembro 2006

Cadafalso de Saddam é adiado


O Tribunal Penal Iraquiano adiou para esta terça-feira, dia 28, o julgamento do ex-ditador Saddam Hussein por genocídio contra curdos, após a realização da 23ª audiência do processo. Saddam e outros seis réus respondem por crime de genocídio devido à sua participação na Operação Anfal, realizada em 1988, contra curdos do norte do Iraque, onde mais de 180 mil foram mortos, a maioria envenenados com gás. O ex-ditador é representado por um advogado indicado pela corte, depois do boicote imposto por sua equipe de defesa, que protesta contra os procedimentos adotados no julgamento.

Duas testemunhas que hoje vivem nos Estados Unidos relataram ter sobrevivido a execuções durante o regime de Saddam na sessão desta segunda-feira. Uma delas contou que, há 20 anos, viu a própria mãe e as irmãs serem mortas a tiros.

No último dia 5, Saddam foi condenado à morte por crimes contra a humanidade pela execução de 148 xiitas na cidade de Dujail, após uma tentativa de assassinato contra o ex-ditador, na década de 80. Uma corte de apelações deve revisar a sentença de morte ainda neste ano.

Nenhum comentário: