04 maio 2007

Mais uma vez a Polícia Federal, agora na Paraíba

A Polícia Federal realizou, nesta sexta-feira, uma grande operação na Paraíba e Pernambuco para desarticular uma organização acusada de prática de cartel em postos de gasolina na cidade de João Pessoa. Segundo a PF, a organização criminosa impunha o preço e provocava o alinhamento final do valor pago pelos consumidores. Quando as pressões não eram suficientes, a organização utilizava outros métodos de coerção, como o preço predatório, para provocar o prejuízo ao concorrente e forçá-lo a aceitar o acordo, a venda ou arrendamento do seu negócio para o grupo.

As investigações demonstram ainda que empresários, pelo fato de representarem distribuidoras, faziam direta ingerência sobre as revendedoras varejistas para cartelização dos postos. Havia ainda a ingerência da Aspetro (Associação dos Proprietários de Postos de Combustíveis do Estado da Paraíba), que pressionava os donos de postos a praticar o preço adotado. Dessa forma, a atuação da organização era praticada de duas formas, na forma vertical, por meio da intervenção das distribuidoras sobre os revendedores e na forma horizontal, pela influência do Aspetro sobre os postos.

Participaram da operação 183 policiais federais dos estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Eles estão cumprindo mandados de busca e apreensão e de prisão expedidos pela 9ª Vara Criminal de João Pessoa. Os presos responderão pelo crimes previstos no artigo 4º da Lei 8137/90 (discriminar preços, por ajustes ou acordo de grupo econômico com o fim de estabelecer monopólio, ou de eliminar, total ou parcialmente a concorrência), do artigo 1º da lei 8176/91 com resolução da ANP nº 07 de 07/03/2007 (adquirir, distribuir e revender derivados de petróleo em desacordo com as normas estabelecidas na forma da lei) e do artigo 288 do Código Penal Brasileiro (formação de quadrilha).
Foto: Correio da Paraíba

2 comentários:

DANIEL PEARL disse...

“O jornalista Diogo Mainardi é um sujeito estranho. Vive reclamando dos processos que toma, inclusive de outros colegas, pelas barbarides que fala na televisão ou escreve na revista Veja.” Esse cara-de-pau Mainardi pensa que é dono do jornalismo no Brasil. Humildade e ética são ingredientes para um bom profissional. Já a “O Globo” reclama de CENSURA. Que moral tem O Globo para reclamar de uma suposta censura à mídia hoje se na época da Ditadura/64 que seqüestrou, torturou e assassinou milhares de brasileiros, o jornal foi conivente com a repressão? Segundo a jornalista Adriana Souza, “o Brasil tem a pior mídia do mundo”. Sobre a Folha, ela nunca foi censurada, gosta de posar de democrata e transparente, e tenta esconder esse período macabro (64) que revela todo o seu caráter de classe e a sua postura direitista. Protegida pela ditadura, a Folha cresceu, e durante os oito anos de FHC, ela nada falou contra as suspeitas privatizações. Acesse DESABAFO: http://desabafopais.blogspot.com

João Bosco disse...

Metodos arcaicos para empresários meia boca.
Pressionar outros empresários para aderir a uma determinada pratica, molda uma máfia.