20 julho 2007

Falta de respeito


As imagens divulgadas ontem pelo Jornal da Globo demonstram bem o desacaso que alguns integrantes do governo tem em relação à população. (Clique aqui para ver o vídeo ). É preciso ver para entender. É revoltante. É chocante. É o completo abandono. Acham que a tragédia é circo? No vídeo os dois personagens, ou seriam palhaços?, o assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Gaspar, e seu assessor de imprensa, Bruno Gaspar, repetem Marta Suplicy agora com gestos. São realmente politicamente corretos. É o "relaxa e goza" para surdos.

Enquanto o Brasil lamenta as quase 200 vítimas irresponsáveis do governo se divertem. Garcia, foi flagrado pelas câmeras da Rede Globo fazendo gestos nada próprios à maior tragédia da aviação comercial brasileira. O que comemoravam ? Quem é que nos gestos de Marco Aurélio Garcia estava "fudido"? Para quem foi o "filho da puta" dito por Bruno Gaspar? Comemoravam alguma vitória. Qual eu não sei.

Fico a imaginar algo. Será que os governistas, depois da reportagem do Jornal Nacional, eles estão livres de qualquer responsabilidade? Não, não estão.

Uma conjugação de interesses diversos parece empenhada em separar a tragédia do Airbus da TAM da crise dos serviços de transporte aéreo que o Brasil enfrenta desde a queda do Boeing da Gol, a dez meses atrás. A tentativa de confinar o horror de Congonhas, tratando-o como um acidente isolado, sem relação alguma com as deficiências do setor que vêm sendo reveladas nesses dez meses, convém a uma multiplicidade de protagonistas: ao Planalto, a todas as áreas da administração federal responsáveis de uma forma ou de outra pela gerência do sistema de transporte aéreo nacional e - por último, mas não menos importante - às principais empresas de aviação comercial do País, que não admitem qualquer limitação do movimento de Congonhas.

É preciso ter seriedade. Afinal estamos falando de quase 200 vidas que se foram. O mínimos que se exige é respeito. Ninguém está fazendo politicagem com o caso. Quando se cogitou a responsabilidade do governo no caso é porque ele está sendo incompetente para administrar uma situação que já perdura longos dez meses. Outra, no dia anterior à tragédia um avião da Pantanal já havia derrapado na pista. A reportagem do JN nada prova. Apenas faz o que sempre fez sempre: investiga.

Mais respeito, senhores!

8 comentários:

João Bosco disse...

Um sujeito asqueroso, sem sentimento de culpa, moral e despreparado. Isto é este assessor especial da presidencia.

Ricardo Rayol disse...

quem está fazendo politicagem é o próprio governo. VTNC

CAntonio disse...

Elles serão imorais ou amorais?

Serão realmente humanos? Animais não chegariam a tanto. Vermes?

SDS.

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Pedir respeito para gente que ficou a vida inteira em centros acadêmicos para não estudar e em sindicatos para não trabalhar?

Ficção, caro Patrick!

Saramar disse...

Sabe patrick, na realidade, os palhaços somos nós, e muito bem treinados para assistir tal abjeção e continuar inermes.
Ando tão enojada com esse governo (?) que mal consigo falar mais sobre ele.

beijos, boa semana.

Moita disse...

Patrick

O governo Lula não tem equipe, tem corja.

Abraços

Ricardo Rayol disse...

Estou convidando para uma blogagem coletiva no dia 02 de agosto. Maiores informações no Jus Indignatus.

david santos disse...

POR MUITO QUE CUSTE A MUITA “BOA” GENTE, NÃO VAMOS DEIXÁ-LO ESQUECER.

Esta semana venho incomodar todos os blogues brasileiros. E por quê? Porque não quero que esta data fique esquecida. Mas que data? Pois é, é mesmo isso! Este ano, de 2007 faz 160 “cento e sessenta anos”, que nasceu um grande vulto da poesia brasileira. Quem foi?
Faz também este ano, 2007, 136 “cento e trinta e seis anos” a data do seu falecimento.
Quem foi? A resposta deve ser dada por iniciais, nada de nome completo
Eu não devia ajudar nada, mas vou-vos dar um cheirinho: “Espumas Flutuantes”, Salvador da Bahia, 1870.

Quem souber, pode deixar a resposta no meu último poste.
Quem não souber, tenha a dignidade de perguntar no mesmo local. Pois aprender não enche barriga nem mata miolo.

David Santos